A relação do Calçadão de Osasco com a pirataria

O Calçadão de Osasco, ou só Calçadão, como ficou conhecido, está localizado no centro da cidade. O seu início se dá na Rua Antônio Agu e se estende até a estação de Osasco (CPTM). Por conta de sua localização, facilidade de acesso e preços acessíveis, o centro comercial atrai consumidores de cidades vizinhas, principalmente Barueri e Carapicuíba. Estima-se que mais de 300 mil pessoas transitem pelo Calçadão todos os dias.

Mais de 250 lojas transformam o Calçadão no segundo maior polo varejista de rua do estado de São Paulo, ficando atrás apenas da região da Rua 25 de Março, com uma fileira de lojas e barracas lado a lado. O sucesso do Calçadão atribui-se à variedade de produtos. Desde roupas até eletrodomésticos, adicionado a bancas, lojas de operadoras de celular e quiosques de sorvete. Todavia, a alta demanda e a expansão do comércio na região fizeram emergir a pirataria.

WhatsApp Image 2018-06-06 at 19.58.43

O primeiro trecho do Calçadão de Osasco foi inaugurado em 1986. (Foto: Felipe Martini)
O tráfico de produtos ilegais é o recurso pelo qual muitos cidadãos encontram para ganhar a vida. Aghata, 26 anos, natural de Diadema, é vendedora ambulante. Ela comercializa de roupas a figurinhas da copa. Não obstante as dificuldades de ser ambulante, Aghata é ainda acompanhada pelos seus dois bebês.

Outro caso é o de Mika. O homem de 28 anos vem do Haiti e reside em Osasco desde 2014. Em 2015, ele começou a tirar a sua renda das vendas de produtos pirateados no Calçadão. “Minha renda vem daqui,” explica Mika, “e da minha família no Haiti também.”

A Guarda Municipal de Osasco comunica que no início do ano ocorreu uma operação junto à Secretaria de Segurança e Controle Urbano (Secontru) denominada “Operação Saturação”. A movimentação contia o apoio dos comerciantes para inibir a venda dos ambulantes. Segundo a Guarda Municipal, a operação foi um sucesso.

WhatsApp Image 2018-06-06 at 20.01.33

Varejo e policiamento andam lado a lado. (Foto: Felipe Martini)
Os comerciantes não concordam com essa afirmação.

“Essa operação não foi verdadeira,” reclama Tereza, vendedora de cachorro-quente, “é só você olhar para o lado. Olha quantos ambulantes temos por aqui.”

À parte os embates entre os comerciantes, o Calçadão já virou um ponto turístico de Osasco e consegue agradar públicos distintos, seja com mercadoria verdadeira ou não.